Sem Nome

Os Safardanos

Compositor: Francisco Raimar / Hugo Salomão

Um dia normal
Fumaça , sangue,suor em meio ao carnaval
Um dia normal
Mais escravos na colônia, e uma batalha naval
Um dia normal
Velhinhos sentam na praça e relêem o jornal
Um dia normal
O sol se foi e a lua chegou afinal

Um dia normal, como um outro qualquer
Ou qualquer outra besteira
Ou um amor a uma mulher
Um dia normal, um fato qualquer
Qualquer que seja a estação
Esteja como estiver

Num dia normal
Se dá comida aos pombos e anda-se entre os escombros
Num dia normal
Se dorme e se acorda, tudo sempre é igual
Num dia normal
Se mata se morre,se abusa da sorte
Num dia normal
Crianças morrem de fome, é outro dia afinal

Um dia normal como um outro qualquer
Ou qualquer outra besteira
Ou amar a uma mulher
Um dia normal, um fato qualquer
Qualquer outra situação
Em outro dia qualquer.

um dia fatal
a gente de vez esquece o que faz aqui
um dia fatal
somos mortos e enterrados como um outro igual
um dia fatal
ficamos todos parados olhando pro sinal
um dia fatal
amanhece e a vida acaba sem ponto final

Um dia normal como um outro qualquer
Ou qualquer outra besteira
Ou amar a uma mulher
Um dia normal, um fato qualquer
Qualquer outra situação
Em outro dia qualquer.

©2003- 2018 lyrics.com.br · Aviso Legal · Política de Privacidade · Fale Conosco desenvolvido por Studio Sol Comunicação Digital